terça-feira, 16 de outubro de 2012

PORTUGAL (CATÓLICOS) - 1 | IRLANDA DO NORTE (PROTESTANTES) - 1




Ronaldo comemorou hoje o centésimo jogo mau ao serviço da Selecção Nacional











90'
+5
Comentário

90'

+2
Canto

Boa análise de Hélder Postiga. No fundo foi isso: muita pouca intensidade e erros a defender. Depois, digo eu, a dificuldade do costume para fazer golos. 

Termina a partida. Portugal empata a um golo com a Irlanda do Norte e fica com apenas sete pontos, menos cinco que o líder do grupo, Rússia.

vozmadridista.com


Las selecciones deberían jugar siempre con juveniles, como hacía antes el basket americano, y dejar de joder a los clubes




90'

+5
Fora-de-Jogo
Fora-de-Jogo de Corry Evans (Irlanda do Norte).



Canto para Portugal marcado por Nani, atrasado para Veloso, este cruza muito baixo.



90'

+2
Comentário
Cruzamento de Ronaldo, Cathcart corta para canto.

90'

+1
Comentário
Grande cruzamento de Varela, Cathcart afasta para canto quando Éder se preparava para fazer golo.
90'
Comentário
Vão-se jogar mais cinco minutos.
89'
Remate Perigoso
Remate perigoso de Nani (Portugal), de pé direito, a bola sai muito perto da barra da baliza de Carroll.
88'
Remate Perigoso
Remate perigoso de Varela (Portugal), de pé direito, a bola toca nas malhas laterais, depois de um desvio de Carroll. O árbitro não deu canto.
88'
Comentário
Corte de Norwood para canto.
87'
Comentário
Bela jogada de Ronaldo pela esquerda, o «sete» tira o cruzamento mas ninguém se fez ao lance.
84'
Cartão Amarelo
Cartão Amarelo para Aaron Hughes (Irlanda do Norte).
79'
Comentário
Cruzamento de Bruno Alves para o segundo poste, Éder toca de cabeça para Nani, o extremo falha o remate, a bola sobra para Postiga que à meia volta faz o empate.
79'
Golo
GOOOOOOOOOOOOOLO de Hélder Postiga (Portugal)!
79'
Remate
Remate de Hélder Postiga (Portugal), para defesa apertada de Carroll
76'
Remate
Remate de Hélder Postiga (Portugal), à figura de Carroll.
74'
Substituição
Entra Éder, sai João Pereira (Portugal).
73'
Falta
Falta de Kyle Lafferty (Irlanda do Norte) sobre Pepe.
72'
Comentário
Cruzamento de Varela, mais um corte da defensiva irlandesa.
71'
Remate
Remate de Cristiano Ronaldo (Portugal), após passe de Pepe, remata cruzado, mas Hughes corta para canto.
65'
Remate
Remate de Hélder Postiga (Portugal), muito por cima. O avançado recebe a bola, roda bem na área mas atira mal.
64'
Comentário
48711 espetadores no Dragão.
63'
Comentário
Pepe cruza, Davis coloca mal o pé na bola, esta sofre um desvio e sai perto da baliza de Carroll. É canto para Portugal.
63'
Remate
Remate de Rúben Amorim (Portugal), forte, mas Carroll afasta.
62'
Canto
Canto para Portugal marcado por João Moutinho, Carroll afasta para longe.
62'
Comentário
Brilhante lance individual de Nani, vai até à linha de fundo, cruzou atrasado, mas Ronaldo e Postiga não chegaram à bola.
61'
Substituição
Entra Varela, sai Rúben Micael (Portugal).
61'
Comentário
Canto para Portugal.
59'
Remate
Remate de Bruno Alves (Portugal), muito por cima...
58'
Remate Perigoso
Remate perigoso de Cristiano Ronaldo (Portugal). Belo cruzamento de Nani, o jogador do Real Madrid aparece na zona da grande penalidade, remate rasteiro mas Carroll evita o golo.
56'
Fora-de-Jogo
Fora-de-Jogo de Hélder Postiga (Portugal). O avançado ainda cabeceou, mas o lance estava anulado.
55'
Comentário
Mau passe de João Pereira que é assobiado no Dragão.
53'
Canto
Canto para Irlanda do Norte marcado por Oliver Norwood, Rui Patrício recolhe a bola sem dificuldades.
53'
Comentário
Cruzamento de McGinn, Veloso corta para canto.
51'
Comentário
Cruzamento de Ronaldo, Carroll segura a bola.
48'
Remate
Remate de Rúben Amorim (Portugal), a bola sai perto da barra de Carroll.
47'
Canto
Canto para Portugal marcado por Miguel Veloso, a bola vai por fora.
46'
Comentário
Já começou a segunda parte, início marcado pela entrada de Rúben Amorim e saída de Miguel Lopes.
46'
Substituição
Entra Rúben Amorim, sai Miguel Lopes (Portugal).



46'
Comentário
Já começou a segunda parte, início marcado pela entrada de Rúben Amorim e saída de Miguel Lopes.
46'
Substituição
Entra Rúben Amorim, sai Miguel Lopes (Portugal).

45'

+2
Comentário
Intervalo!

45'

+1
Comentário
Cruzamento largo de João Pereira, Ronaldo não consegue chegar à bola.

45'

+1
Comentário
Vai-se jogar mais um minuto na primeira parte.
44'
Canto
Canto para Portugal marcado por Nani, Carrol recolhe sem dificuldades.
44'
Comentário
Cruzamento de Nani, McGivern corta para canto.
42'
Comentário
Cruzamento de Nani, Evans corta para canto.
39'
Comentário
Cristiano Ronaldo cruza tenso, Evans corta e a bola quase que entra na própria baliza.



"En consecuencia de que no tenemos la pelota, ellos están creando más problemas"- Oído en la tele. Hahahahahagagahahah!! (Descomunal reflexión!!)

Comentador da rádio TSF: "os adeptos da irlanda do norte festejam nas bancadas apesar da troika estar no pais deles"


Fraca 1.ª parte de Portugal no Dragão. Uma equipa sem velocidade, agressividade e ideias, que vai perdendo frente à modesta Irlanda do Norte. As melhores ocasiões de golo da Seleção foram criadas por... jogadores visitantes, que ficaram perto de marcar na própria baliza em duas ocasiões. Vai ser preciso (muito) mais.
[E o Nani é o jogador mais inconsequente do mundo, só batido pelo Quaresma...]



Irlanda do Norte: Golo de Niall McGinn (0-1), aos 30'



Alguém explica como a nossa selecção é a nº 3 da FIFA?? [Extra:  Mou y el virus Fifa: Marcelo, Coentrao, Arbeloa y Benzema sale tocado" Fifarato!!!!]

Perda de bola da Seleção a meio-campo, com a Irlanda do Norte a encetar rapidamente o contra-ataque. Lafferty atraiu vários defesas portugueses na direita e abriu depois em McGinn na esquerda, que faturou na cara de Patrício.



ONZE DE PORTUGAL: Rui Patrício; João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Miguel Lopes; Miguel Veloso, Ruben Micael e João Moutinho; Nani, Cristiano Ronaldo e Hélder Postiga

Portugal e Irlanda do Norte já se defrontaram por 10 vezes e quem está a pensar numa goleada para o jogo desta noite deve ter atenção a estes números: 5 triunfos para a turma das Quinas (nunca por mais de 1 golo!), 3 empates e 2 derrotas.

A principal figura dos norte-irlandeses dá-se pelo nome de Jonny Evans, central do Manchester United, por onde também passou o guarda-redes Roy Carroll, agora a atuar nos gregos do Olympiacos.

Pela frente, Portugal vai ter uma modesta formação da Irlanda do Norte, com apenas 1 ponto conquistado nos 2 jogos já realizados: derrota, por 2-0, com a Rússia e empate, em casa, frente ao Luxembrugo.

Esta noite, mais uma vez, será Ronaldo e mais 10, um dos quais Miguel Lopes. O lateral do FC Porto será o escolhido por Paulo Bento para substituir o lesionado Fábio Coentrão. De resto, o selecionador não deve mexer na equipa que entrou de início com a Rússia.

Num total de 99 partidas, CR7 soma 57 vitórias, 25 empates, 17 derrotas e 37 golos marcados, o primeiro dos quais apontados à Grécia, de cabeça, na fase de grupos do Euro'2004.

A aventura de Ronaldo na principal Seleção começou a 20 de agosto de 2003, num particular diante do Azerbaijão. Scolari lançou-o ao intervalo, precisamente para o lugar de Figo.

Bem antes da desejada festa da vitória portuguesa, Cristiano Ronaldo será galardoado pela 100.ª internacionalização. O avançado do Real Madrid, de apenas 27 anos, será o primeiro a conseguir tal proeza antes de festejar 30 primaveras. Aliás, apenas Fernando Couto e Luís Figo somam no currículo mais de 100 jogos pela equipa das quinas.

A derrota na Rússia afastou a Seleção do 1.º lugar, agora ocupada pelo conjunto de Fabio Capello, mas em nada beliscou as aspirações de Portugal. Claro que antes de duas saídas - Israel e Azerbaijão - nada como somar 3 pontos para voltar a levantar o moral dos jogadores.

Depois da derrota na Rússia, a Seleção Nacional está obrigada a vencer esta noite para manter-se na perseguição ao principal rival no apuramento para o Mundial'2014. A partida, no Dragão, fica marcada pelo jogo 100 de Ronaldo ao serviço da equipa das quinas.

Ciclo Ecuménico de Oración

Esta semana oramos por:

Se o homem não deixar de consumir combustíveis fósseis também não terá como minimizar as consequências da braveza dos mares que, de imediato destruirá várias cidades costeiras. E se o consumo deixar de acontecer agora, o homem ainda sofrerá os danos provocados à atmosfera pelo período de 30 a 50 anos, até que o gás já emitido seja dissipado. Com o atual retrato a previsão é de que a água deverá subir entre 4 e 5m de altura. Nos Estados Unidos as principais cidades a serem atingidas são Baltimore, Miami, Nova Orleans, Nova Iorque e até Washington, além de Londres, na Inglaterra. Nova Orleans sofreu com o Katrina, mas nada foi feito para minimizar novas catástrofes, segundo cientistas, que prevêem outros furacões Além dessas, outras cidades costeiras do mundo sofrerão o mesmo efeito, devido às alterações do derretimento das calotas polares e de grandes geleiras. À medida que as calotas derretem aparecerão áreas escuras (antes gélidas e claras), onde o sol ganhará força de impacto, fenômeno chamado pelos cientistas de Efeito Feedback. Esse desaparecimento também indica que o homem presenciará mudanças na Terra. Mas, atualmente, já se registra o desaparecimento de geleiras em todo o mundo. Nas últimas 3 décadas, cerca de 25% das geleiras peruanas desapareceram. Esse registro ocasiona outro efeito nas regiões afetadas. As mudanças, por serem radicais, exigem alterações e respostas rápidas do homem na questão da sobrevivência. Os exemplos registrados até hoje mostram que a segunda parte não acontece. Ao nível dos oceanos que aumentam junte-se o calor nos mares. No ano 2000, um acontecimento jamais visto deixou cientistas perplexos. Uma barreira de 11 mil metros quadrados de gelo desprendeu-se da calota da Antártida e em torno de 3 trilhões de toneladas de gelo seguiram mar adentro. Caso somente o gelo da Antártida e da Groelândia se derreta, o nível do mar aumentará até 9m, segundo previsão científica. Programa Grace A seriedade da situação fez com que a entidade científica de influência global, a Nasa, se unisse a outra agência alemã, para juntas construírem o Programa Grace, com o objetivo de ‘bisbilhotar’ os efeitos do degelo. O programa lançou os satélites Tom e Jerry, que há cinco anos medem as alterações gravitacionais ocasionadas pelo derretimento de gelo na Groelândia e na Antártida. Toda a água compactada em blocos de gelo ao derreter, ocasiona mais pressão por ocupar mais volume no espaço. Satélites monitoram os efeitos do degelo na pressão atmosférica Segundo cientistas o calor derrete entre 100 e 200 bilhões de toneladas de gelo por ano. Invasão de mares Em muitos lugares do mundo o mar é o responsável pela perda de terra seca em função ao aumento de seu nível. Em Bangladesh fazendeiros perderam áreas de plantação de arroz por causa da invasão de água salgada do mar. Além de causar sérios problemas sócio-econômicos, provocando a mudança de comportamento de animais e migrações em massa para países desenvolvidos, o risco da falta de água potável é outro grande problema a enfrentar. No Rio de Janeiro Em São João da Barra, no norte fluminense, uma maré alta destruiu um prédio de quatro andares, em 5 de abril de 2008. Nos últimos 35 anos, o mar avança a média de 3m a cada 12 meses. Mais de 200 casas já foram destruídas pelas ondas, desabrigando moradores. Segundo pesquisas do Departamento de Engenharia Cartográfica da Universidade do Estado de Rio de Janeiro (Uerj), nos últimos meses a erosão tem se acelerado, além do previsto e avançou 7m, o dobro da média anual, medida desde a década de 50. Nos Estados Unidos A cada dia a água do mar invade 30cm de área da cidade de Luziânia (EUA) e grandes áreas de terra são consumidas pelo mar. Na mesma região, 13 ilhas desapareceram nos últimos 100 anos e a remanescente Ilha Robert já perdeu 8m de terra desde junho de 2008. No século passado, os Estados Unidos sofreram a ação devastadora provocada por 167 furacões. Os mais violentos foram o Vilma, Rita e o Katrina. O Projeto Argo, lançado para medir o estado físico dos oceanos, mostra por meio de 3 mil bóias distribuídas pelos oceanos, que o aquecimento ocorre com velocidade alarmante. E somente neste século, os cientistas prevêem a elevação do nível do mar entre 30 a 90cm. Cidades vulneráveis As cidades norte-americanas ameaçadas por furacões do nível 2 (como o Isabel), são Baltimore, Nova Orleans, Miami, Nova Iorque e até Washington. Londres não fica fora da lista. Elas são vulneráveis a furacões que podem provocar o aumento do nível do mar e inundações de 4 a 5m. Segundo previsões, os furacões continuarão e com maior incidência Na Europa Em fevereiro de 1953, a força dos ventos e a maré alta destruíram diques na Holanda, desenvolvidos desde a Idade Média. O resultado foi desastroso, pois 300 fazendas e 3 mil casas foram destruídas e 1,8 mil pessoas morreram. Em 2007 o mar invadiu a capital da Finlândia. Destruição de efeito dominó Os pântanos, ao lado das ilhas, são acidentes geográficos que minimizam a ação de furacões, por desgastar por fricção, a velocidade do vento. Mas, também, ao lado das ilhas, segundo pesquisa, os pântanos estão desaparecendo. O aumento da temperatura dos oceanos também ocasiona tempestades violentas. O oceano mais quentes e o aquecimento que provoca o degelo de calotas polares, causará destruição sem limites. Leia mais no livro Fronteira Final

NOTÍCIAS

Get Adobe Flash player

A minha Lista de blogues